Homeopatetices, o conselho da farmacêutica, e a lista negra

Fonte: Crônica da Ciência

Observação do editor: Texto originalmente publicado para o Desafio 10:23 de 2011 em Portugal

No sábado, como planejado, fui fazer numero no protesto anti-homeopatia. Depois de muito ponderar e ler mais umas coisas, e não tendo encontrado nenhum artigo sobre resíduos tóxicos ou de fármacos em produtos homeopáticos, nem o que me lembrava de ter lido, considerei que o risco era baixo e participei do mesmo modo que os outros. Tomei uma dose cavalar daquilo, meia embalagem de uma vez, (já que partilhei o meu produto porque ainda custa 10:45), mas ainda cá estou. Às 10:23 como combinado. No resto do mundo seguiu-se a mesmo acontecimento.

Infelizmente éramos muito poucos. Se os homeopáticos tivessem razão esta seria uma poderosa demonstração, mas infelizmente penso que é preciso continuar este tipo de coisas para alertar as pessoas.

Nesse dia, quando comprei o produto, tive em primeira mão a confirmação da nessecidade de explicar o que é a homeopatia e explicar porque não funciona. A senhora farmacêutica que me atendeu, depois de me por o produto na mão começou a dizer como se devia tomar. E como funcionava. Perante a minha resposta de que não funcionava, ainda insistiu que sim e chegou mesmo a salientar que era farmacêutica (WTF!?)  acabando por concluir que se calhar eu tinha uma formação parecida.

Não é tolerável que as farmácias abusem da sua autoridade para vender produtos que não têm eficácia comprovada e não têm plausibilidade nenhuma no mecanismo de acção que propoêm.

É só agua e açúcar. Mais nada. É preciso que as pessoas saibam que é só agua e açúcar. Porque eu penso que muitas quando souberem que aquilo é só agua e açúcar e que não se consegue melhor que o efeito placebo vão tentar gastar o dinheiro em placebos melhores como um chocolate quente ou um filme bonito.

Naturalmente que deixei a farmacêutica saber desta minha opinião. Foi um choque ouvir tamanho disparate ser proferido com tanta naturalidade por uma pessoa que estudou para saber mais que aquilo. Bem sei que um curso superior não transforma idiotas em pessoas inteligentes, mas não deixo de ficar pasmado. Claro que ela podia estar apenas a seguir instruções, mas o problema mantém-se.

Eu sugeria que se fizesse uma lista das farmácias que  para lá de vender medicamentos homeopáticos não se importam de os aconselhar e dizer que funcionam. Sugeria mesmo que essa lista fosse obtida às claras e explicando porque é que a estávamos a fazer. Os dados deveriam ser obtidos directamente do director clínico e não anonimamente. A recusa a responder devia igualmente ser anotada e divulgada.

Creio que o numero de farmácias que assumam a responsabilidade de dizer que a homeopatia funciona vai reduzir muito  se for tudo feito publicamente e à claras. É não só uma oportunidade para o cliente saber do que pode contar numa farmácia em relação aos seus conselhos, como para algumas farmácias se destacarem da tenda de feiticeiro com que algumas não se importam de confundir.

Comments are closed.