Homeopatia, acupuntura, Torresmo e Pururuca

Autor: Carlos Orsi

Fonte: Carlos Orsi – Ciência, Cultura, Opinião

Os leitores daqui talvez já estejam familiarizados com a tempestade surgida em torno da publicação de nota, na edição mais recente da revista Scientific American Brasil, defendendo o uso da homeopatia como uma espécie de panaceia para os males ecológicos do planeta. A reação da comunidade brasileira de leitores levou a questão a fóruns internacionais de debate sobre ciência e pseudociência, a uma manifestação pública da editora da edição original da revista, desautorizando a publicação de textos pró-homeopáticos e, por fim, a um pedido de desculpas do editor-chefe da SciAm Brasil (que, no entanto, não menciona o puxão de orelha vindo da matriz).

Se a história serve de guia, é provável que um terceiro ato desta comédia, ainda em andamento (surgiram algumas questões pertinentes, por exemplo, quanto à seriedade e sinceridade das desculpas oferecidas pelo editor Ulisses Capozzoli) venha de homeopatas queixando-se do “fascismo metodológico” e do “clima de linchamento” engendrados pela nota. Insinuações de interesses escusos alimentados pela sede de lucro da indústria farmacêutica e da Monsanto não devem demorar muito a surgir.

(Sempre que vejo “alternativos” denunciando a fome maldita de lucro do “establishment” na tentativa de desautorizar críticas, me pergunto: homeopatas e farmácias homeopáticas vivem sob voto de pobreza, doando tudo o que ganham para caridade, por acaso?)

Mas, enfim, qual o problema com a homeopatia? e por que a blogosfera cientificamente alfabetizada se levantou contra a insinuação de reconhecimento, pela SciAm Brasil, da prática como ciência legítima? Existe um artigo recente publicado no jornal britânico The Guardian que cuida bem do assunto, mas faço um resumo aqui:

Os princípios da homeopatia foram desmentidos pela ciência: a física e a química dos últimos 200 anos negam a possibilidade de que os medicamentos se tornam mais potentes a partir de sucessivas diluições, como propõe a teoria homeopática.

A homeopatia não funciona: óquei, a teoria pode estar furada, mas isso não quer dizer que a coisa não pode funcionar. A teoria da gravidade de Aristóteles era uma bobagem, mas as pedras continuavam caindo do mesmo jeito, certo?

Bem: em se tratando de respostas terapêuticas, há uma série de cuidados que precisam ser tomados antes de afirmar qual o fator responsável por um determinado resultado: afinal, o paciente sarou por causa do remédio? ou será porque a bactéria já ia morrer, mesmo, de qualquer jeito? ou, talvez, por causa de um fungo misterioso, que estava crescendo na casca da maçã que ele comeu no almoço? Enfim, sempre que a homeopatia é estudada com o cuidado necessário para isolar o poder do tratamento, em si, dos efeitos de eventos incidentais e paralelos, o resultado é: Zero. Niente. Nada.

Leia o texto completo no site do Carlos Orsi.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>